arrow-circle-full-right arrow-circle-full-up arrow-circle-up arrow-down arrow-right calendar calendar-done facebook flickr home linkedin login pin reload search share signin star twitter video video youtube nav star-plus info signout double-arrow arrow-up checked
Commodities

FT Commodities Americas Summit

Rio de Janeiro |
Speakers include:
Fabio Schvartsman

Fabio Schvartsman

Vale SA

Blairo  Maggi

Blairo Maggi

Governo Federal do Brasil

Eduardo  Ledsham

Eduardo Ledsham

BAMIN

Overview

Do petróleo à agricultura e mineração, as Américas são uma potência global de commodities. No entanto, países como o Brasil ainda precisam atingir seu potencial e alavancar totalmente uma vasta riqueza em recursos naturais. Eles também estão tendo que navegar em um
contexto geopolítico cada vez mais volátil, bem como em meio a grandes tendências estruturais, como a transição energética e a descarbonização, que moldarão os mercados de commodities nas próximas décadas.

A segunda reunião da FT Commodities Americas Summit examinará os desafios e oportunidades enfrentados pelas nações produtoras de commodities em toda a região e o papel central que desempenharão no fornecimento de matérias-primas ao mundo.

fallback
fallback Add to my Calendar 10/15/2018 19:00:0010/16/2018 18:30:00trueFT Commodities Americas SummitDo petróleo à agricultura e mineração, as Américas são uma potência global de commodities. No entanto, países como o Brasil ainda precisam atingir seu potencial e alavancar totalmente uma vasta riqueza em recursos naturais. Eles também estão tendo que navegar em umcontexto geopolítico cada vez mais volátil, bem como em meio a grandes tendências estruturais, como a transição energética e a descarbonização, que moldarão os mercados de commodities nas próximas décadas.A segunda reunião da FT Commodities Americas Summit examinará os desafios e oportunidades enfrentados pelas nações produtoras de commodities em toda a região e o papel central que desempenharão no fornecimento de matérias-primas ao mundo.FT-Commodities-Americas-Summitb980f7d46a212b1f8c12834d62edf333MM/DD/YYYY

Para a versao do site em Ingles por favor clique aqui

Clique aqui

Vid

Capture

fallback

Clique aqui para ver as fotos de 2017

Clique aqui para ver as fotos de 2017

commoditiesamericasscreen

fallback

Palestrante principal (1)

Fabio Schvartsman

Fabio Schvartsman

Presidente & Diretor Executivo
Vale SA

Fabio Schvartsman é graduado em engenharia de produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e possui MBA pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas.

Com mais de 40 anos de experiência no sucesso de operações em grandes grupos, Schvartsman se destacou por seu excelente desempenho no comando da Klabin S.A., uma das maiores produtoras e exportadoras de papel e celulose do Brasil. Como diretor administrativo da Klabin de Fevereiro de 2011 a Abril de 2017, ele estabeleceu um novo ciclo de gestão focado em resultados e alto desempenho. Nesse período, a empresa dobrou sua capacidade de produção, entrou em novos mercados, triplicou sua capitalização de mercado e registrou melhora nos resultados financeiros por 23 trimestres consecutivos. Além de ter sido responsável pela finalização do processo de profissionalização da empresa, Schvartsman liderou a execução do Projeto Puma, o maior projeto da história da Klabin, envolvendo investimento total de R $ 8,5 bilhões, iniciado em Março de 2016.

De Fevereiro de 1976 a Abril de 1985, o Sr. Schvartsman trabalhou na Duratex, como chefe de seu Setor de Estudos Econômicos, chefe de sua Divisão de Desenvolvimento e chefe de seu Departamento de Planejamento. Por 22 anos, entre Maio de 1985 e Abril de 2007, ocupou vários cargos nas empresas do Grupo Ultra e participou de algumas importantes negociações. De Abril de 2007 a Fevereiro de 2008, ele liderou a Telemar Participações S.A. e de Abril de 2008 a Abril de 2010, foi Diretor Executivo da San Antonio Internacional. Além disso, ele era responsável pela flutuação da bolsa de valores da Ultrapar e trabalhou como superintendente de planejamento, diretor de planejamento, diretor de planejamento e controle, diretor de relações com investidores e diretor financeiro / diretor-superintendente da empresa. Enquanto sócio e diretor da Ultra S.A., empresa controladora da Ultrapar, ele foi responsável pelo processo de aquisição da rede de postos de gasolina Ipiranga. Ele também liderou o Ultraprev. Schvartsman também atuou em conselhos de muitas empresas, incluindo a Telemar Norte Leste S.A., Contax Participações SA, Ultra SA, San Antonio Internacional, Duratex SA, Companhia Brasileira de Distribuição Pão de Açúcar, Gafisa SA e Hospital Israelita Albert Einstein.

O Sr. Schvartsman foi nomeado pelo Conselho de Administração da Vale para o cargo de Diretor Executivo em Abril de 2017.

Palestrante (23)

Blairo  Maggi

Blairo Maggi

Ministro da Agricultura
Governo Federal do Brasil

Blairo Maggi nasceu em 29 de Maio de 1956, em Torres (RS), em uma família de pequenos agricultores de ascendência italiana. Graduou-se em Agronomia pela Universidade Federal do Paraná e chegou ao Mato Grosso para plantar soja no município de Itiquira, no sul do estado, no início dos anos 80. O negócio prosperou, dando origem ao atual Grupo Amaggi, um dos maiores produtores e exportadores de soja do Brasil, com negócios em diversas áreas econômicas, incluindo logística de transporte, pecuária e produção de energia elétrica. Foi governador do Mato Grosso por dois mandatos consecutivos (2003-2007 e 2007-2010) e foi eleito para o Senado da República em 2011, com término em 2019. Em maio de 2016, ele renunciou ao cargo de senador. assumir o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Eduardo  Ledsham

Eduardo Ledsham

CEO
BAMIN

Eduardo Jorge Ledsham é graduado em Geologia pela UFMG e possui MBA em Finanças pelo IBMEC, pós-graduado em avaliação de empresas e projetos da FGV, MBA em Gestão pela FDC, e estudou Estratégia e Avaliação Econômica na Warton, e nos Programas de Gestão e Liderança do MIT e IMD. Com mais de 33 anos de experiência em mineração, o Sr. Ledsham foi ex-Diretor Executivo da Vale, responsável pela Exploração, Tecnologia e Implementação de Projetos no Brasil e 22 outros países; Ele é ex-diretor executivo da B & A Mining (cobre e fertilizantes), ex-CEO da Brazilian Geological Survey (CPRM) e atualmente CEO Bahia Mineração responsável pela implementação da operação de minério de ferro que integra a mina, ferrovia e porto na Bahia. de produto premium de alta qualidade.

Dirceu  Ferreira Junior

Dirceu Ferreira Junior

Diretor do CEAT, Centro de Expertise em Agricultura Tropical
Bayer

Dirceu Ferreira Junior é diretor do CEAT, Centro de Expertise em Agricultura Tropical da Bayer. O executivo iniciou suas atividades na Bayer em 2014. Atuou como diretor de Desenvolvimento de Negócios na América Latina, liderando a plataforma de inovação da Crop Science na América Latina. Antes deste período atuou em multinacional do setor de agroquímicos de 1993 a 2014, exercendo atividades nas áreas de vendas como RTV (Representante Técnico de Vendas), RH como Coordenador de Treinamento e Desenvolvimento, Finanças como Head de Barter, Gerente Financeiro e Projetos como Transformation Lead. Formado em Agronomia pela UFV (Universidade Federal de Viçosa) e com especialização e cursos nas áreas de marketing pela FDC (Fundação Dom Cabral), grupo PENSA (USP) e INSEAD (França).

Andy  Duff

Andy Duff

Gerente, Equipe de Pesquisa em Agroeconômia
Rabobank Brasil

Andy Duff é gerente da equipe de pesquisa setorial do Rabobank Brasil, responsável pelo acompanhamento dos desenvolvimentos nas maiores agroindustrias brasileiras e nos mercados globais de commodities. Ele é também o especialista global do setor de açúcar do Rabobank. Andy trabalha no Rabobank desde 2001, e no Brasil desde 2007. Antes de entrar para o Rabobank, Andy trabalhou seis anos para LMC International, uma empresa de consultoria especializada em análise de mercados agropecuários. Andy é graduado em Biologia Aplicada pela Universidade de Cambridge e possui mestrado em Economia Agrícola pela Universidade de Reading.

Mario  Lindenhayn

Mario Lindenhayn

Global CEO BP Biofuels & Head of Country
BP, Brazil
Ana Zambelli

Ana Zambelli

Presidente da AZ Engenharia
Membro do Conselho, Petrobras

Ana Zambelli é a presidente da AZ Engenharia, especialista em consultoria de petróleo e gás no Brasil e membro do conselho da Petrobras.
Com 22 anos de experiência em petróleo e gás, Zambelli ocupou cargos de liderança na Maersk Drilling (Diretora Comercial), Transocean (Diretora Administrativa de Operações Submarinas), Alcoa Latin America (Membro do Conselho) e Schlumberger (Presidente da Schlumberger Brasil).

João Alberto Abreu

João Alberto Abreu

Vice-Presidente Executive de Etanol, Açúcar e Bioenergia
Raízen

João Alberto Abreu é vice-presidente executivo de Etanol, Açúcar e Bioenergia da Raízen e membro do conselho da Iogen Energy. Ele é formado em Engenharia Mecânica e de Produção pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ) e possui MBA pela Fundação Dom Cabral. Ainda cursou Programa de Negócios na Universidade da Pensilvânia.

João Alberto trabalhou por 18 anos na Shell, ocupando diversas posições no Varejo, no Brasil, Inglaterra e Argentina. No início da Raízen, atuava como diretor executivo Comercial e era membro do conselho da Petróleo Sabbá, afiliada da Raízen no Norte do Brasil. Em 2012, tornou-se diretor de Bioenergia e Tecnologia do negócio de Etanol, Açúcar e Bioenergia da Raízen. Dois anos depois, assumiu a Diretoria executiva Agroindustrial. Foi responsável pelo desenvolvimento e implementação da primeira planta integrada de Etanol de Segunda Geração da Raízen.

Daniel Amaral

Daniel Amaral

Economista Chefe
ABIOVE

Daniel Amaral  é o economista -chefe da ABIOVE, e responsável pelas questões econômicas das cadeias produtivas de soja e biodiesel no Brasil. Ele também  é responsável por diálogos com agências governamentais e principais stakeholders sobre proposições relacionadas a competitividade e politicas de logistica, bioenergia, apoio ao credito, comercio e regulamentação. O Sr Amaral é economista com doutorado em Agricultura e econometria na Universidade de São Paulo.

Andre  Araujo

Andre Araujo

Presidente
Shell Brasil

Com mais de 30 anos de experiência na indústria de óleo e gás, André Araujo se tornou presidente da Shell Brasil em 2010, período em que a companhia registrou seu maior crescimento em mais de 100 anos de operação contínua no país. Entre as conquistas mais marcantes sob sua gestão, destacam-se a consolidação da joint venture Raízen, a participação no consórcio do megaprojeto de Libra – primeiro sob o regime de partilha de produção no pré-sal brasileiro – e a recente aprovação da combinação com o BG-Group.

Em cargos anteriores, André acumulou experiência em diversas áreas de Negócios, tais como a área Comercial e Relações com o Governo, tendo residido em quatro países diferentes. Nascido no Rio de Janeiro, formado em Engenharia Química pela UFRJ e com MBA pelo IBMEC- São Paulo, André também é conselheiro do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), do Conselho Empresarial Brasileiro de Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), do Instituto Ethos e do Museu do Amanhã (CONMAM, Rio de Janeiro).

Ana Cabral

Ana Cabral

Vice presidente
Lítio Sigma

Ana Cabral, uma banqueira de investimento especializada na execução de transações financeiras complexas, trabalhou em mais de US $ 182 bilhões em fusões e aquisições e negócios de mercado de capitais durante seus 25 anos de carreira. Cinco das transações que ela liderou ganharam o prestigioso prêmio "Deal of the Year", incluindo a privatização da Vale do Rio Doce em 1997, a oferta de privatização da Vale em 2002 e a aquisição da Inco pela Vale em 2006. Em 2013, a Sra. Cabral fundou a A10 Investimentos, transformando-a em uma das principais butiques de M & A e gestão de ativos no Brasil. A10 é o acionista controlador da Sigma Lithium Resources Corp, uma das principais empresas de lítio de hard rock do mundo. A Sigma iniciou a produção piloto e está dentro do cronograma para atingir a produção comercial no final de 2019.

Como ex-chefe de mercado de capitais latino-americanos da Goldman Sachs em Nova York, Ms. Cabral possui um MBA pela Columbia Business School e um mestrado em finanças pela London Business School. Ela faz parte do Conselho Consultivo dos Centros Globais da Universidade de Columbia e é membro do conselho da Escola Americana de São Paulo.

Geovane  Consul

Geovane Consul

Vice Presidente
Açúcar Bunge e Bioenergia

Geovane Consul é Vice-Presidente da Bunge Sugar & Bioenergy, Bunge Limited. Ele tem mais de 25 anos de experiência no setor de agronegócios. Na Bunge desde 1991, atuou em cargos estratégicos, incluindo Diretor de Agronegócios para o Brasil e Diretor de Operações para a América Latina. Desde 2013, ele liderou o negócio de Açúcar & Bioenergia no Brasil. É graduado em Engenharia Química e possui MBA pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no Brasil.

Lieven  Cooreman

Lieven Cooreman

SVP Yara Brazil
CEO Galvani JV

Lieven Cooreman é Vice-Presidente Sênior da Yara Brasil e CEO da Galvani JV, um conjunto empreendimento de produção de fosfato controlada pela Yara (60%). O Sr. Cooreman tem quase 30 anos de experiência em posições de liderança executiva e conselhos de administração de grandes empresas de mineração e metais e engenharia, como a Anglo American (diretor executivo Iron Ore Brazil), a Sibelco (CEO sul-americana), a Mineração Jundu Saint-Gobain / Sibelco JV), Umicore (Diretor Gerente de Engenharia da América do Sul) e Magotteaux.

O Sr. Cooreman tem extensa experiência em gerenciamento de mudanças,joint ventures, negociação de M & A e PMI, execução bem-sucedida de estratégias de negócios e crescimento, grande exposição à América Latina, Europa, EUA, Ásia e MENA.

Antonio Dominguez

Antonio Dominguez

Diretor Geral East Coast South America
Linha MaersK

Antonio Dominguez Saucedo iniciou seu mandato como Diretor Administrativo da Maersk na Costa Leste da América do Sul (Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai) em Dezembro de 2015, depois de atuar desde 1995 na Sealand Services, Inc e Maersk Line em cargos de liderança bem-sucedidos nos Estados Unidos. da América, Hong Kong, Taiwan, Copenhague, México, Guatemala, Colômbia, Equador, Brasil, Argentina e Panamá, sempre liderando grandes mudanças nos negócios e desenvolvendo roteiros estratégicos.

O Sr. Dominguez recebeu a bolsa de estudos Fulbright de prestígio para concluir seus estudos na Universidade do Kansas (KU) em Lawrence, EUA e enquanto lá foi reconhecido com a bolsa de estudos Mildred Pepper. Graduou-se em Administração de Empresas, Finanças e Economia na KU e de lá foi para a Universidade de Ciência e Tecnologia da América Latina onde, reconhecido como bolsista do Rotary, obteve seu MBA em Marketing e Administração de Empresas graduado como Summa Cum Laude. Sr. Dominguez, também possui uma infinidade de certificados e estudos técnicos nas áreas de liderança, atendimento ao cliente, marketing, vendas e negociações estratégicas.

Apaixonada pelo setor de logística, transporte em geral, liderança como um chamado para ajudar os outros a desenvolverem seu potencial e equipes alcançarem mais e alcançarem mais alto, educação como a maneira mais segura de tirar as pessoas da pobreza e do pensamento estratégico, Dominguez é palestrante freqüente nos círculos latino-americanos e internacionais.

Elizabeth  Farina

Elizabeth Farina

Presidente e CEO
Associação Brasileira da Indústria de Cana-de-Açúcar - UNICA

Elizabeth Farina é a Presidente e CEO da UNICA desde Dezembro de 2012. Antes disso, ela foi professora titular de Economia na Universidade de São Paulo, Brasil. Presidiu o Departamento de Economia de 2002 a 2004 e de 2010 a 2012. Foi presidente do Conselho Brasileiro de Concorrência (Cade) de 2004 a 2008.

Por mais de 10 anos, o Dr. Farina foi vice-presidente do programa de agronegócio da Universidade de São Paulo, PENSA. Doutora em economia pela Universidade de São Paulo em 1983 e com o título de habilitação desde 1996. Chegou à cátedra completa em 2001.

Dr Farina é membro do Conselho de Agronegócios da FIESP (COSAG), membro da Comissão Externa de Avaliação do Insper (Instituto de Educação e Pesquisa), membro do Comitê Estratégico da Coalizão Brasileira de Clima, Florestas e Agricultura, Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e membro do Conselho Consultivo da Muove Brasil.

O Dr. Farina trabalhou como consultor no Brasil e em outros países da América Latina e como especialista econômico em estratégias de alimentos e agronegócios e litígios antitruste e análise de fusões e aquisições. Publicou muitos livros, capítulos de livros e artigos em revistas nacionais e internacionais.

Pedro  Fernandes

Pedro Fernandes

Diretor de Agronegócios
Itaú BBA

Pedro Fernandes é Diretor de Agronegócios no Itaú BBA, o maior banco corporativo e de investimentos da América Latina e parte do grupo Itaú Unibanco. Anteriormente, teve uma  experiência profissional na Procter & Gamble, na França. Fernandes ingressou no Itaú BBA em 2002 e, desde então, já atuou em diversas áreas, como Departamento de Crédito e Cobertura
de Clientes Corporativos, e liderou a equipe de Financial Sponsors.

Em 2012, Fernandes ingressou no programa de parcerias do Itaú como sócio minoritário e foi promovido a diretor em 2014, tendo já desempenhado esse papel na região sul do Brasil e no
interior do Estado de São Paulo. 

Em 2017, foi nomeado diretor de Agronegócios do Itaú BBA. É formado em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, com especialização na École
Centrale de Paris.

Ruben Fernandes

Ruben Fernandes

Diretor Executivo
Anglo American

Ruben Fernandes é o Diretor Executivo da Anglo American no Brasil, responsável pelas operações de níquel e minério de ferro da Anglo American no Brasil. Ruben tem mais de 30 anos de experiência no setor de mineração. Antes de ingressar na Anglo American em 2012, Ruben foi chefe de mineração na Votorantim Metals no Brasil, responsável por projetos e atividades de exploração em todo o mundo, bem como operações no Peru e na Colômbia. Entre 2009 e 2011, foi COO da Vale Fertilizantes, responsável pelas operações de fertilizantes, vendas e marketing. Ruben também foi Diretor Executivo das Empresas Kaolin - Pará Pigmentos e Cadam - duas subsidiárias da Vale, entre 2007 e 2009, e ocupou vários cargos de análise, marketing e projetos no negócio de Metais Básicos da Vale, que ingressou em 1999. Entre 1988 e 1998, vários papéis de liderança na indústria de ligas especiais.

Formado em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal de Minas Gerais, Ruben também possui MBA pela Universidade de São Paulo.

Décio  Oddone

Décio Oddone

Diretor Geral
ANP - Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis

Décio Fabricio Oddone da Costa é o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), cargo que ocupa desde Dezembro de 2016. Na década de 80, ingressou na Petrobras e passou a fazer parte da Petrobras. a equipe responsável pelas operações de perfuração em águas profundas offshore no Brasil. Ocupou vários cargos gerenciais na Petrobras no Brasil, Argentina, Angola, Líbia e Bolívia, onde foi Diretor Presidente da Petrobras Bolívia. Foi Presidente do Conselho e, posteriormente, Diretor Presidente da Petrobras Energía SA (NYSE:PZE).

Foi Diretor Estatutário e Diretor de Investimentos na Braskem S.A. e Diretor de Projetos de Petróleo e Gás da Prumo Logística S.A., empresa controlada pela EIG Energy Partners.

O Sr. Oddone é graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e tem pós-graduação em engenharia de petróleo. Ele participou do Advanced Management Program da Harvard Business School e do Advanced Management Programme do Insead, na França. Ele recebeu um doutorado honorário em Educação (Universidad de Aquino, Bolívia).

Murilo  Parada

Murilo Parada

Head da Região North Latam (Brasil)
Louis Dreyfus Company

Murilo Parada é Head da Região North Latam (Brasil) e também Head Global da Plataforma de Sucos, depois de ter liderado a Plataforma na Região North Latam. De nacionalidade brasileira, ele ingressou no Grupo como Trainee em 2001, trabalhando inicialmente para estabelecer a Plataforma de Algodão no Brasil. Posteriormente passou a atuar na Plataforma de Sucos, como Diretor Comercial no Brasil até 2010. Ele foi transferido para Pequim em 2011 como Gerente Geral das Operações de Sucos para a Ásia, retornando ao Brasil em 2013 como Diretor Comercial da Biosev, até ser nomeado Head de Sucos para a Região North Latam em 2014, Head da Região e Head Global de Sucos em 2017. Murilo faz parte do sênior leadership team da LDC global. Murilo é graduado em Engenharia Agronômica pela USP-Universidade de São Paulo e Mestre em Economia e Negócios pela FGV-Fundação Getúlio Vargas.

Guilherme​  Quintella

Guilherme​ Quintella

Presidente
EDLP - Estação da Luz Participações

Guilherme Quintella tem mais de trinta anos de experiência no setor de Logística e Infraestrutura de Transportes, especialmente em áreas que possuem maior eficiência energética, como os setores hidroviário e ferroviário. Foi neste último que Guilherme se tornou uma importante referência nacional e internacional. Isto é principalmente devido ao seu papel como um dos nove membros do Conselho Executivo e como Presidente da U.I.C. América Latina (International Union of Railways), uma entidade privada que gerencia 95% da rede ferroviária mundial e transporta anualmente mais de 30 bilhões de passageiros e 11 bilhões de toneladas de carga.

No Brasil, Guilherme fundou a EDLP - Estação da Luz Participações Ltda. Em 2004, o principal negócio ferroviário do país, desenvolveu os seguintes projetos ferroviários: Ferrogrão, Trens Intermunicipais, Contrail Logística e Rumo Logística. No início de sua carreira nas décadas de 1980 e 1990, Guilherme era acionista e diretor de Logística da Comercial Quintella, a maior empresa de comercialização de soja do Brasil na época. Foi pioneiro na introdução da soja na operação de exportação do Porto de Santos e na implantação do primeiro modelo de transporte multimodal com o uso da hidrovia, ferrovia e portos.

Os projetos estruturados pelo Guilherme têm em comum a união de diversas partes interessadas, bem como a convergência do interesse público e a atratividade do capital privado. Guilherme é economista com pós-graduação na Harvard Business School (O.P. - Owner / President Management Program).

Valmor Schaffer

Valmor Schaffer

Diretor Geral Global Asset Management, MD, Brasil
COFCO International

Valmor Schaffer lidera a organização Global Asset Management e é diretor administrativo da COFCO International no Brasil. Antes de ingressar na COFCO International em 2015 como Presidente da América do Sul, o Sr. Schaffer foi Presidente da América do Sul e Country Manager Brasil na Archer Daniels Midland Company (ADM). O Sr. Schaffer tem mais de 30 anos de experiência na indústria de grãos e oleaginosas. Antes de ingressar na ADM, o Sr. Schaffer ocupou vários cargos de gestão em empresas como GSI, Grupo Rezende e Cocamar.

O Sr. Schaffer estudou comércio exterior na Unisinos University no Brasil e economia nas Faculdades Integradas do Triangulo. Ele também participou do Programa de Desenvolvimento de Executivos da Harvard Business School.

Paulo Sousa

Paulo Sousa

Líder do Grupo,Cadeia de mantimentos Agrícola, América do Sul
Cargill

Paulo Sousa ingressou na Cargill em 1990 como estagiário em Nutrição Animal e foi transferido para a Corn Milling em 1991 passando para a Divisão de Merchandising Mercantil da CMD em 1995.

Em 1999, ele assumiu uma posição de trading de soja com a WTU-Geneva.

Paulo ocupou vários cargos dentro da GOSC Brasil e tornou-se seu Líder de Unidade de Negócio em 2010. Ele foi nomeado para seu cargo atual como Líder do Grupo América do Sul para a Cadeia de Suprimentos Agrícolas da Cargill em Fevereiro de 2016.

David Strang

David Strang

Presidente & Diretor Executivo
Ero Copper Corp

O Sr. Strang atua como presidente e diretor executivo e como diretor da Ero Copper Corp. O Sr. Strang atuou anteriormente como diretor, presidente e diretor executivo da Lumina Copper Corp., que foi vendido para a First Quantum Minerals Limited em Agosto de 2014. O Sr. Strang também atuou como diretor, presidente e diretor executivo da Lumina Royalty Corp. (vendida para a Franco Nevada Corporation em 2011), da Global Copper Corp. (vendida para a Teck Resources em 2008) e da Lumina Resources Corp. Western Copper Corp. em 2006). Anteriormente, o Sr. Strang atuou como Presidente da Regalito Copper Corp. (vendido para a Pan Pacific em 2006) e Vice-Presidente de Desenvolvimento Corporativo da Northern Peru Copper Corp. (vendido para a China Minmetals e Jiangxi Copper em 2008) e original) Lumina Copper Corp. O Sr. Strang tem aproximadamente 20 anos de experiência em finanças corporativas, particularmente nas áreas de avaliação corporativa e de ativos, e tem aproximadamente nove anos de experiência como oficial  e diretor. O Sr. Strang tem um bacharel em Ciências Aplicadas da Terra pela Universidade de Stanford.

Francisco  Turra

Francisco Turra

Executive President
ABPA (Brazilian Animal Protein Association)

Formado em Comunicação Social pela PUC/RS e Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Passo Fundo/RS, atualmente é Presidente Executivo da Associação Brasileira de Proteína Animal – ABPA, vice-presidente da Associação Latino-americana de Avicultura – ALA, Presidente do Conselho Empresarial Brasil-Rússia e Diretor da Divisão de Produtos de Origem Animal do Departamento de Agronegócios da FIESP.

Deputado Emérito, outorgado pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, empossado como membro da Academia Nacional de Agricultura da Sociedade Nacional de Agricultura.

Recentemente, recebeu Prêmio Personalidade do Agronegócio Ney Bittencourt de Araújo 2017, um dos maiores reconhecimentos do setor nacional, pelas contribuições ao longo da sua vida profissional e de homem público em prol do agronegócio brasileiro. Também recebeu a Medalha Mérito Apolônio Sales, concedida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA, Brasília/DF).

Recebeu ainda o Prêmio Carne Forte, na EXPOMEAT, ao ser eleito uma das dez personalidades mais atuantes na defesa e na divulgação da proteína animal brasileira. O reconhecimento é referente às ações realizadas pela associação após a deflagração da Operação Carne Fraca, em março do último ano.

fallback

Presidente (1)

Neil Hume

Neil Hume

Editor de Recursos Naturais
Financial Times

Neil Hume é o Editor de Commodities e Mineração do Financial Times, cargo que ocupa desde Setembro de 2013. Ele cobre o comércio global de recursos naturais, como minério de ferro, carvão, cobre e trigo, bem como a política, social e econômica. aspectos da indústria de commodities e casas comerciais. Hume ingressou no FT como correspondente sênior do mercado de ações em 2006. Ele também ajudou a fundar o FT Alphaville, o premiado blog de mercados da FT. Ele se tornou editor de Alphaville em 2010 antes de ser nomeado correspondente da FT na Austrália em 2012. Além de editar Alphaville, o Sr. Hume escreveu uma coluna semanal para o FT e ganhou o prêmio de melhor artigo no M & A International Media Awards em 2008 por sua história. Aquisição da Budweiser pela InBev. Antes de ingressar no FT, ele passou seis anos no balcão de negócios do The Guardian. O Sr. Hume formou-se na Universidade de Warwick em História e Política.

Agenda - 15th Oct

  • 7:00pm
    Recepção de Boas Vindas

Agenda - 16th Oct

  • 8:30am
    Inscrição e Networking
  • 9:30am
    Discurso de Abertura

    Neil Hume, Editor de Recursos Naturais, Financial Times

    Discurso de Abertura e Conversa

    Fabio Schvartsman, CEO, Vale
    ComNeil Hume, Editor de Recursos Naturais, Financial Times

    O chefe da maior produtora de minério de ferro do mundo fala com Neil Hume, Editor de Recursos Naturais da FT, sobre as perspectivas da Vale SA e sua missão de tornar a produtora de aço uma empresa mais previsível, capaz de gerar retornos mesmo nas condições mais difíceis do mercado.

  • 10:10am
    Palestra - Uma Visão do Governo

    Blairo Maggi, Ministro da Agricultura, Governo Federal do Brasil

    Moderador: Andres Schipani, Correspondente do Brasil, Financial Times

  • 10:30am
    Grãos e Oleaginosas - Os retornos de volatilidade

    2018 trouxe um retorno à volatilidade de grãos e oleaginosas. A seca na Argentina ajudou a elevar os preços no início do ano, antes de serem derrubados pelos temores de uma guerra comercial EUA-China. Agora, à medida que compradores chineses vasculham o mundo em busca de alternativas à soja americana, os produtores da Argentina, Brasil e Paraguai estão em condições de lucrar. Mas será que eles conseguirão? Já existem grandes dúvidas sobre a capacidade do Brasil de impulsionar as vendas por causa das novas regras de frete, que aumentaram os custos e reduziram as margens de lucro. Um painel dos principais executivos da indústria debaterá este e outros tópicos importantes que moldam esse importante setor do agronegócio.

    Moderador: Gregory Meyer, Repórter de Mercados, Financial Times

    Murilo Parada, CEO do Brasil, Louis Dreyfus Company
    Valmor Schaffer, MD Global Asset Management, MD Brasil, COFCO International
    Paulo Sousa, Líder, Cadeia de Suprimentos Agrícolas, América do Sul, Cargill

  • 11:05am
    Intervalo
  • 11:30am
    Comércio e logística - Enfrentando os gargalos de transporte do Brasil

    Bilhões de dólares foram gastos na melhoria da infra-estrutura portuária do Brasil, acabando com os atrasos crônicos que atormentaram os exportadores de commodities por muitos anos. Mas a rede de transporte do país ainda requer investimentos pesados para enfrentar os
    gargalos ferroviários e rodoviários, o que dificulta a mudança de cultura de onde elas são produzidas para portos e terminais, onde são carregadas em navios. Quais são as possíveis soluções para as questões de infraestrutura do Brasil e como os setores público e privado podem trabalhar juntos para resolvê-las? Reguladores, governo, funcionários e executivos e grupos da indústria discutirão essa importante questão.

    Moderador: Andres Schipani, Correspondente do Brasil, Financial Times

    Daniel Amaral, Economista Chefe, ABIOVE
    Antonio Dominguez, Diretor Executivo da Costa Leste da América do Sul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai), Maersk Line Ltd
    Guilherme Quintella, Presidente - CEO, Estação da Luz Participações
    Bruno Serapião, CEO, Hidrovias Brasil
    Marcelo Spinelli, CEO, VLi Logistics

  • 12:15pm
    Açúcar e Etanol - Brasil e Além

    O açúcar é a principal commodity com pior desempenho em 2018, uma vez que a desaceleração do crescimento da demanda e o aumento da produção combinaram-se para reduzir os preços, pressionando ainda mais os produtores. Até agora, os preços baixíssimos não produziram nenhuma redução significativa na produção do etanol, que deveria ser a válvula de segurança para a indústria, não conseguiu absorver o excesso de suprimentos. No entanto, existem razões para pensar que o mercado pode estar chegando ao fim. A região centro-sul do Brasil tem a produção mais baixa quase uma década, enquanto o padrão climático El Nino pode prejudicar as safras na Ásia no final deste ano. Olhando para o futuro, o ritmo de crescimento do consumo continuará a diminuir à medida que as empresas de alimentos e bebidas venderem produtos com menos açúcar. No Brasil, o mercado está acompanhando o impacto de um novo programa - o RenovaBio - destinado a aumentar o uso de biocombustíveis e torná-los mais competitivos com a gasolina. Um grupo de executivos líderes da indústria debaterá esses temas principais e outros.

    Moderador: Neil Hume, Editor de Recursos Naturais, Financial Times

    Palestra: Paulo Roberto de Souza, Diretor Presidente, Copersucar
    João Alberto Abreu, Vice-Presidente Executivo de Etanol, Açúcar e Bioenergia, Raízen
    Geovane Consul, Vice-Presidente, Bunge Sugar & Bioenergia
    Elizabeth Farina, Presidente e CEO, Associação Brasileira da Indústria de Cana-de-Açúcar - UNICA
    Mario Lindenhayn, CEO Global BP Biofuels & Head of Country, BP Brasil

  • 1:00pm
    Almoço
  • 2:15pm
    O mercado global de petróleo - as perspectivas de investimento e preços

    Com os preços do petróleo se recuperando acima de US $ 70 por barril, as perspectivas para a indústria parecem melhor do que nos últimos anos. Porém, a incerteza ainda é abundante no setor, com preços voláteis e dúvidas sobre a durabilidade da recuperação do petróleo em um
    momento em que os maiores produtores de petróleo do mundo, dos EUA à Arábia Saudita e Rússia, estão aumentando a suas produções.
    O setor de petróleo da América Latina também está em uma encruzilhada. O Brasil ultrapassou  o México e Venezuela para se tornar o maior produtor de petróleo da região e uma importante fonte de não-Opep. Os campos do pré-sal do país são considerados uma das maiores
    descobertas de petróleo nos últimos 50 anos, e agora estão atraindo o interesse dos maiores produtores de petróleo do mundo, que estão correndo para garantir apostas. Mas as grandes empresas de energia também estão olhando para a Argentina e suas enormes reservas de xisto, enquanto o México está tentando revigorar sua indústria, defendendo o investimento externo em sua maior revisão por décadas. Todos devem competir por capital com a indústria de xisto dos EUA, que continua a se fortalecer. Este painel também se concentrará no impacto da recente decisão do Brasil de introduzir um subsídio ao diesel e um preço mínimo de frete.

    Moderador: Gregory Meyer, Repórter de Mercados, Financial Times

    Andre Araujo, Brasil Country Chair, Shell
    Decio Oddone, Diretor Geral, ANP - Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis
    Ana Zambelli, Diretora da AZ Engenharia, Membro do Conselho, Petrobras

  • 3:00pm
    Metais e Mineração no Brasil

    Após anos de iniciativas incansáveis de corte de custos e redução de dívidas, as empresas de mineração estão começando a gastar novamente. Mas onde eles deveriam distribuir seu dinheiro? O Brasil tem uma vasta riqueza mineral, mas o desastre da barragem da Samarco levou a um maior escrutínio da indústria de mineração e também de procuradores poderosos de estado. Ao mesmo tempo, o governo introduziu regulamentações ambientais mais fortes e novas regras para royalties, mas levantou a proibição de mineração na Amazônia. Este painel
    irá debater novas realidades para metais e mineração no Brasil e discutir se é um país atraente suficiente para se investir.

    Moderador: Neil Hume, Editor de Recursos Naturais, Financial Times
    Lieven Cooreman, SVP, Yara Brasil, CEO, Galvani JV
    Ruben Fernandes, CEO, Anglo American, Brasil
    Eduardo Ledsham, CEO, BAMIN

  • 3:35pm
    Recursos para a revolução da energia limpa

    À medida que o mundo se move para fontes de energia mais limpas, será necessário mais cobre para conectar fazendas solares e turbinas eólicas para a rede e também níquel para as baterias que vão energizar veículos elétricos. No entanto, há uma escassez de novos projetos no canal e de cobre pois muitos dos grandes depósitos de alta qualidade já foram extraídos. Então, de onde virão os metais necessários para um planeta descarbonizado? Uma resposta poderia ser as Américas ou de projetos greenfield ou a expansão de minas existentes. Neste painel, um grupo de executivos da indústria discutirão as perspectivas para os metais na região.

    Moderador: Neil Hume, Editor de Recursos Naturais, Financial Times

    Ana Cabral, Vice-Presidente, Sigma Lithium
    Mauro Neves, Presidente, Minera Escondida
    David Strang, Presidente e Diretor Executivo, Ero Copper

  • 4:10pm
    Intervalo
  • 4:25pm
    As perspectivas para o agronegócio brasileiro

    O agronegócio brasileiro é altamente exposto ao mercado de commodities e à volatilidade cambial sofrendo, assim, com o chamado 'custo Brasil'. A logística deficiente, tributação complexa e burocracia pesam fortemente na competitividade. No entanto, apesar disso, o Brasil continua sendo um importante exportador agro-industrial e espera-se que contribua substancialmente para o fornecimento de alimentos no mundo nas próximas décadas. O que manteve o agronegócio brasileiro competitivo no passado e o que é necessário para mantê-lo no futuro.

    Moderador: Neil Hume, Editor de Recursos Naturais, Financial Times

    Andy Duff, Gerente, Equipe de Pesquisa em Agroeconômia, Rabobank Brasil
    Pedro Fernandes, diretor de agronegócios do Itaú BBA

  • 5:10pm
    A geopolítica das commodities

    A guerra comercial entre os EUA ea China ameaça ter grandes repercussões para mercado agrícola e particularmente para o Brasil e a Argentina. Se Pequim for forçada a buscar mais de seus grãos e sementes oleaginosas das Américas, porque as importações dos EUA são mais caras, a região será capaz de responder? Como os fluxos de comércio global mudarão e que outros os mercados são vulneráveis à crescente onda de protecionismo? Estas e outras perguntas serão discutidas pelos principais economistas e analistas.

    Moderador: Neil Hume, Editor de Recursos Naturais, Financial Times

    Andres Schipani, Correspondente do Brasil, Financial Times
    Oliver Stuenkel, Professor Adjunto de Relações, Internacionais da Fundação Getúlio Vargas (FGV)

  • 5:45pm
    Fechamento e recepção

QUEM PARTICIPARÁ

A Cúpula de Commodities da FT contará com a presença de: Executivos, VP e Diretores, Gerentes de Fundos, Chefe de Renda Fixa, Moedas e Commodities (FICC), Analistas de Risco de Mercado, Negociadores de Commodities, Chefes de Aquisição de Commodities, e muitos outros das diferentes indústrias.

fallback

Porque Participar

  • Interagir com os líderes da indústria de commodities que têm foco e interesse especial na região.
  • Ouça a partir de um painel de especialistas de palestrantes e jornalistas do Financial Times, trazendo as questões mais urgentes para a vida através de uma série de painéis de discussão e palestras.
  • Analisar as tendências mais recentes de oferta e demanda em toda a gama de commodities; da agricultura à energia para metais
fallback

PREÇOS

Taxa do

bilhete (dólares americanos)

Bilhete Padrão Evento

USD $1.495

fallback

Local

Copacabana Palace Hotel
Rio de Janeiro

Brazil

Tel: +55 21 2548-7070

fallback

OPORTUNIDADES DE PATROCÍNIO

Obter acesso a 150 altos executivos da indústria de commodities, que estarão presentes no evento;
Alinhamento da marca com o FT e sua credibilidade inigualável;
Demonstrar liderança de pensamento em torno das questões críticas atuais que afetam o setor;
Beneficie-se da visibilidade internacional sustentada através de nossas campanhas de publicidade e marketing
Peter Bamford
Gerente Comercial, Energia, Clima e Commodities
T: +44 (0) 20 7873 4329
E: peter.bamford@ft.com

fallback

APRESENTADO POR (1)

O Financial Times é uma das principais organizações de notícias de negócios do mundo, reconhecida internacionalmente por sua autoridade, integridade e precisão. Em 2016, o FT passou um marco significativo em sua transformação digital, uma vez que as receitas digitais e de serviços superaram as receitas de impressão pela primeira vez. O FT tem uma tiragem combinada, de impressão e digital, de mais de 910.000 e faz 60% das suas receitas por meio de jornalismo.

Parceiro (1)

A Louis Dreyfus Company (LDC) é uma líder na comercialização e no processamento de produtos agrícolas, que utiliza seu alcance global e sua extensa rede de ativos para atender seus clientes em todo o mundo, levando o produto certo ao local certo, no tempo certo - de forma segura, responsável e confiável. As atividades da LDC abrangem toda a cadeia de valor, do campo à mesa, por meio de diferentes linhas de negócios (plataformas). Desde 1851, seu portfólio tem crescido e inclui Oleaginosas, Grãos, Frete, Global Markets. Café, Algodão, Açúcar, Arroz, Laticínios e Suco. A companhia ajuda a alimentar e vestir mais de 500 milhões de pessoas anualmente, originando, processando e transportando cerca de 81 milhões de toneladas de produtos. Estruturada como uma organização matricial de 6 regiões geográficas e 10 plataformas, a LDC atua em mais de 100 países e emprega aproximadamente 19 mil pessoas em todo o mundo. A companhia está no Brasil desde 1942, onde atua nas principais regiões produtoras e opera mais de 60 unidades logísticas e industriais. Para mais informações, visite www.ldc.com/br e siga-nos no Twitter e LinkedIn.

Patrocinador principal (1)

Na Bayer, trabalhamos para moldar a agricultura através de inovações revolucionárias em benefício dos agricultores, consumidores e nosso planeta. Combinamos a ciência moderna com a engenhosidade dos agricultores para ajudar a nutrir nosso mundo em crescimento e preservar os recursos naturais. Estamos empenhados em fornecer melhores soluções para todos os agricultores e, ao mesmo tempo, possibilitar mais escolhas para os consumidores, ajudando-os e fazendo nosso planeta prosperar. E, embora não tenhamos todas as respostas, nossa paixão pela descoberta, colaboração e curiosidade significa que nunca deixaremos de nos esforçar para encontrá-las.

Patrocinador Associado (1)

O Eurasian Resources Group (ERG) é um grupo diversificado de recursos naturais com operações de mineração, processamento, energia, logística e marketing totalmente integradas.
Presente em 14 países em quatro continentes, a empresa sediada em Luxemburgo emprega mais de 80.000 pessoas. Maior produtora mundial de ferrocromo com alto teor de carbono do mundo por teor de cromo, a ERG fornece uma linha completa de ferroligas de alta qualidade através da TNC Kazchrome, e a Cazaquistão Aluminum Smelter JSC produz alumínio premium, marca registrada da London Commodity Exchange. No Cazaquistão, a ERG é a única produtora de alumínio e as suas exportações representam aproximadamente 90% da produção total.
A ERG também é uma das principais fabricantes de cobalto e cobre e está muito incitada em impulsionar o crescimento de energia alternativa. O Grupo é um membro fundador da Global Battery Alliance, uma iniciativa do Fórum Econômico Mundial que visa criar uma cadeia de fornecimento responsável para baterias que alimentam veículos elétricos, painéis solares e smartphones.
Através do seu RTR Projeto Metalkol na República Democrática do Congo, a partir do final de 2018, o ERG começará a produzir 14 quilotons por ano de cobalto livre de trabalho infantil, o que é suficiente para abastecer até 1,5 milhão de veículos elétricos de alto padrão.

PARCEIROS DE APOIO (13)

The Brazilian Association of Agribusiness (ABAG) was created on March 10, 1993. The official presentation of ABAG took place at the National Congress in Brasília, by the founding President, Ney Bittencourt de Araújo, a visionary and passionate about Brazilian agribusiness. Since then, ABAG's contribution has been to highlight the importance of the work of managing and the entire agro-industrial system, together with the government, private initiative, class entities and universities, and the implementation of measures to strengthen it 

Café: não basta ser puro, tem que ter qualidade. Esse é o lema da Associação Brasileira da Indústria de Café – ABIC, entidade criada em 1973 e que desenvolve um trabalho que integra indústrias, varejo, pontos de consumo. São diversos os programas criados e implementados pela ABIC e focados na pureza, na qualidade e, mais recentemente, na sustentabilidade do café. Reconhecida mundialmente como uma das mais ativas entidades do setor cafeeiro, a ABIC, realiza inúmeros programas e certificações visando sempre: A PROMOÇÃO DO CONSUMO INTERNO DE CAFÉ A PARTIR DA MELHORIA DA QUALIDADE E DA AGREGAÇÃO DE VALOR À BEBIDA

Fundada em 1987, a Aboissa é hoje uma das maiores e mais respeitadas corretoras de commodities da América Latina.
Com vasto conhecimento da cadeia de produção mundial, temos uma visão ampla de oportunidades de negócios para cada cliente. Temos corretores especializados focados em cada família de produtos. Do planejamento ao pós-venda, mantemos um compromisso com a excelência, desenvolvendo relacionamentos comerciais duradouros.

Empresas e entidades das cadeias agroindustriais de aves, ovos e suínos de todo o Brasil reuniram-se no dia 24 de março de 2014 para criar a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que nasceu a partir da junção da União Brasileira de Avicultura (UBABEF) e da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (ABIPECS).Francisco Turra, ex-presidente da UBABEF, foi indicado para assumir o cargo de presidente executivo da nova entidade, que conta com duas vice-presidências: de aves, assumida pelo ex-diretor de Mercados da UBABEF, Ricardo Santin; e de suínos, comandada pelo ex-presidente da ABIPECS, Rui Eduardo Saldanha Vargas.Com a criação da ABPA, UBABEF e ABIPECS foram extintas como entidades representativas da avicultura e da suinocultura nacionais, respectivamente.A ABPA já nasceu como maior entidade representativa do setor de proteína animal do Brasil: são 132 associados. Com a União, a meta é chegar a 150 associados.

A Abraceel é uma associação que defende a livre concorrência de mercado como instrumento de promoção da eficiência e segurança do abastecimento nas áreas de energia elétrica, etanol e gás natural, além de estimular o crescimento das negociações de créditos de carbono. A associação atua com a sociedade em geral produtores, agências governamentais, outras organizações nas áreas de energia elétrica, etanol, gás natural e créditos e agentes econômicos em geral, a fim de:
promover a discussão da liberdade como um valor fundamental e da concorrência como meio de promover a inovação e a eficiência;
discutir e disseminar as melhores práticas e experiências nacionais e internacionais na regulação e desenvolvimento dos mercados de energia;
discutir e disseminar as melhores práticas no comércio de energia;
defender a melhoria das estruturas legal e regulatória para que a livre comercialização possa promover cada vez mais a eficiência do mercado em benefício da sociedade;
defender a expansão e consolidação do mercado livre de energia elétrica, bem como a estruturação do mercado de gás natural e a consolidação dos mercados de etanol e créditos de carbono;
e manter seus membros informados sobre a evolução do ambiente legal e institucional, buscando identificar possíveis ameaças e oportunidades.

A Agência Paulista de Tecnologia Agropecuária (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, tem a missão de coordenar e gerenciar as atividades de ciência e tecnologia voltadas ao agronegócio. Sua estrutura inclui o Instituto Agronômico (IAC), Instituto Biológico (IB), Instituto de Economia Agrícola (IEA), Instituto de Pesca (IP), Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) e Instituto de Ciência Animal (IZ) polos regionais estrategicamente distribuídos no Estado de São Paulo e no Departamento de Gestão Estratégica (GDE).
As unidades de pesquisa da APTA atendem às demandas tecnológicas das diversas cadeias produtivas do agronegócio, utilizando seu potencial de geração e transferência de conhecimento em uma visão de desenvolvimento sustentável, com foco na inovação com responsabilidade social e ambiental. Para isso, é respaldado pela capacitação profissional de seus pesquisadores e técnicos.
Por meio de suas atividades de pesquisa e produção de bens e serviços, a APTA contribui para o desenvolvimento regional, a inovação científica e tecnológica e o fortalecimento da economia baseada no agronegócio.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) é uma empresa pública federal brasileira de inovação tecnológica focada na geração de conhecimento e tecnologia para a agricultura brasileira. Sua missão é "Possibilitar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura, em benefício da sociedade brasileira.”

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) é a associação responsável pela representação institucional da cadeia produtiva de árvores plantadas, do campo à indústria, junto a seus principais públicos de interesse. 
Lançada em abril de 2014, a entidade representa as 60 empresas e nove entidades estaduais de produtos originários do cultivo de árvores plantadas, com destaque para painéis de madeira, pisos laminados, celulose, papel, florestas energéticas e biomassa, além dos produtores independentes de árvores plantadas e investidores financeiros.
A Ibá reúne as empresas que participavam da Associação Brasileira da Indústria de Painéis de Madeira (Abipa), da Associação Brasileira da Indústria de Piso Laminado de Alta Resistência (Abiplar), da Associação Brasileira dos Produtores de Florestas Plantadas (ABRAF) e da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa).

A ORPLANA - Organização de Plantadores de Cana-de-Açúcar do Centro-Sul do Brasil - foi fundada em 29 de junho de 1976, com o objetivo de organizar a classe de produtores e aumentar sua representatividade no Brasil e no exterior. Nossa missão é garantir um futuro seguro e rentável para os produtores de cana-de-açúcar que buscam a excelência na produção agrícola e a coordenação da cadeia de cana-de-açúcar. Com sede em Ribeirão Preto / SP, atualmente possui 32 associações de fornecedores de cana-de-açúcar, sendo 24 em São Paulo, 1 em Mato Grosso, 1 em Mato Grosso do Sul, 3 em Minas Gerais e 3 em Goiás. A ORPLANA representa aproximadamente 11 mil fornecedores de cana-de-açúcar em toda a região centro-sul do Brasil.
A ORPLANA procura oferecer aos seus membros:
Excelência Técnica: Criação de uma oportunidade para disseminar conhecimento e desenvolver soluções para o setor, especialmente na área de novas tecnologias;
Assessoria jurídica: Levantamento preventivo de pontos de incerteza jurídica, aproximação a órgãos relacionados a questões trabalhistas e questões ambientais;
Relacionamento: Representantes de produtores para o desenvolvimento sustentável da cadeia integrada de cana-de-açúcar;
Desenvolvimento de Pessoas: Disseminação de conhecimento entre as Associações membros, fortalecendo a base de apoio ao produtor;
Relações Políticas / Públicas: Diálogo com organizações públicas e privadas e com a sociedade, nacional e internacionalmente;
Marketing institucional do setor: Elaboração de planos de comunicação para apoio e promoção institucional das associações membros do setor sucroenergético.
Além de nossos valores, visamos apoiar, fortalecer e manter as vantagens competitivas do produtor independente de cana-de-açúcar, maximizando sua eficiência e rentabilidade. Ser um facilitador no desenvolvimento de conhecimento técnico e estratégico para a cadeia sucroenergética, auxiliando na tomada de decisão efetiva. Desenvolver um ambiente externo favorável aos produtores de cana-de-açúcar por meio do marketing institucional do setor e da defesa de seus direitos. Contribuir para a manutenção da competitividade do setor sucroenergético no longo prazo. Elevar os níveis de eficiência dos membros da ORPLANA de produtores de cana-de-açúcar, mantendo a unidade da classe.

APLA - Arranjo Produtivo Local do Álcool

Definição de Cluster. “Cluster é um agrupamento geograficamente concentrado de empresas inter-relacionadas e instituições correlatas numa determinada área, vinculadas por elementos comuns e complementares”. (PORTER, 1999)*

* PORTER, M.E. Competição on competition estratégias competitivas essenciais. Rio de Janeiro: Campus, 1999. 515p.

APLA - Arranjo Produtivo Local do Álcool. O que podemos fazer?

O cluster possui empresas e instituições que podem oferecer uma solução completa para a indústria sucroenergética em nível mundial e, entre os nossos associados podemos ofertar: engenharia, equipamentos industriais, equipamentos agrícolas, serviços etc. Toda a tecnologia para se produzir açúcar, etanol e cogeração de energia. O Apla também possui empresas que podem ofertar projetos Turn-Key.

A PR Consulting Americas fornece comunicações estratégicas, marketing e serviços digitais para clientes em 15 países das Américas, do Canadá ao Chile. A empresa internacional tem escritórios em São Paulo e na Cidade do México e tem planos de abrir nos EUA a partir de 2019. A PR Consulting Americas detém uma profunda especialização no trabalho com mineração e minerais, logística, infraestrutura, financeiro, varejo, e-commerce, alimentos. , tecnologia, educação e empresas imobiliárias. A boutique de comunicações e marketing desenvolve programas holísticos totalmente integrados e personalizados, on-line e off-line, e oferece estratégias inovadoras para resolver desafios complexos ao posicionamento, à transformação e ao crescimento da marca. Hoje, todos os clientes de pequeno a global desfrutam de retornos significativos em seus investimentos graças a nossas equipes multidisciplinares e multiculturais.

Fundada em 9 de fevereiro de 2004, a São Paulo Chamber of Commerce (SPCC) é um órgão da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) que atua na promoção das relações comerciais entre empresas brasileiras, principalmente, paulistas com o resto do mundo.Como setor responsável pelo comércio exterior e braço internacional da ACSP, a São Paulo Chamber of Commerce tem como principais objetivos::: Construir uma rede de cooperação com entidades empresariais no mundo.:: Facilitar e promover o acesso de empresas no mercado internacional.:: Oferecer oportunidades de negócios às empresas. :: Capacitar empresas para operar em um mercado competitivo.

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) representa os principais produtores de açúcar e etanol na região Centro-Sul do país, especialmente no estado de São Paulo, que responde por cerca de 60% da safra de cana do país e mais da metade da produção total de etanol. A UNICA desenvolve documentos de posicionamento, estatísticas e pesquisas específicas em apoio aos setores brasileiros de açúcar, etanol e bioeletricidade. Na safra de 2017/2018, o Brasil produziu uma estimativa de 596 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, que renderam 36 milhões de toneladas de açúcar e 26 bilhões de litros de etanol, tornando-se o principal produtor de cana-de-açúcar e de açúcar do mundo além de ser o segundo maior produtor de etanol do planeta.

Contate-Nos

Toby Barran
Delegate Booking and Registration Enquiries
Financial Times
Peter Bamford
Commercial Manager - Energy, Climate & Commodities
Financial Times
Diana Whittington
Speaking Opportunities
Financial Times
Aneliese Hirst
Marketing And Media Enquiries